adere.png

A DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Há diferentes definições para o termo, mas a maioria segue o que está prescrito na convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD), aprovada em 2009 no nosso país como norma constitucional. Ela diz: “Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdades de condições com as demais pessoas”.

 

A DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

No caso da deficiência intelectual, um dos desafios para se chegar ao diagnóstico é estabelecer assertivamente a origem ou identificar a causa. Em quase metade dos casos, não há uma conclusão clara. Mas os estudos, em sua maioria, dividem os motivos que tendem a causar a deficiência intelectual em quatro grupos:  

 

Aspectos biomédicos - aqueles que têm ligação com processos biológicos, sendo os principais:

  • Distúrbios convulsivos;

  • Distúrbios cromossômicos e genéticos;

  • Distúrbios metabólicos;

  • Distúrbios neonatais;

  • Doenças maternas;

  • Lesão cerebral traumática;

  • Lesão no ato do nascimento;

  • Prematuridade;

  • Síndromes genéticas;

 

Aspectos sociais – relacionados com interação social e familiar, estimulação e resposta aos estímulos, sendo os principais:

  • Falta de acesso aos cuidados no nascimento;

  • Falta de acesso da mãe ao cuidado pré-natal;

  • Institucionalização;

  • Má nutrição da mãe durante a gestação;

  • Pobreza e ausência de bons estímulos;

  • Violência doméstica;

 

Aspectos comportamentais –  os potencialmente causais, com destaque para:

  • Abandono da criança pelos pais;

  • Abuso e negligência dos responsáveis pela criança;

  • Imaturidade da mãe e ou do pai;

  • Rejeição dos pais à criança;

  • Uso de álcool e ou drogas durante a gestação;

  • Uso de drogas pelos pais;

  • Violência doméstica (física, psicológica e ou sexual);

 

Aspectos educacionais – relacionados às oportunidades educacionais que a criança recebe – ou não – e que promovem o desenvolvimento intelectual:

  • Apoio familiar inadequado;

  • Deficiência intelectual dos pais;

  • Diagnóstico tardio da deficiência;

  • Falta de estimulação precoce;

  • Pais sem preparo para exercer a parentalidade positiva;

  • Serviços educacionais sem qualidade;

 

O que os achados científicos mostram é que os aspectos estão relacionados ao momento do desenvolvimento do indivíduo, antes, no parto e depois do parto. Na fase pré-natal, podem ocorrer desde alterações nos cromossomos (que causam a Síndrome de Down) às deformações no feto (por conta do uso de substâncias lícitas e ilícitas); da falta de oxigenação à prematuridade, na hora do parto e no primeiro mês de vida; da desnutrição e desidratação até acidentes domésticos, no pós-natal.

Saiba mais em “Os principais tipos de deficiência intelectual”